Trágica morte de Eduardo Campos polariza e prejudica eleição presidencial

Trágica morte de Eduardo Campos prejudica eleição presidencial de 2014 (imagem/divulgação/assessoria)


  A trágica morte de do candidato a presidência Eduardo Campos não só foi um acontecimento triste do ponto de vista humano, mas também do ponto de vista eleitoral. Campos era a terceira opção depois de anos de eleições polarizadas entre direita e esquerda.

  Já faz anos que as eleições sempre se dividem entre os seguidores de Lula e de Fernando Henrique e isso sempre fez com que surgissem muitas trocas de acusações e nenhum projeto ou proposta nova que fosse fazer alguma diferença na rotina dos brasileiros.

  Porém em 2014 a situação se mostrava diferente, pois havia Eduardo Campos como uma verdadeira nova opção. Se era melhor ou pior que os outros não é essa questão, mas fazia diferença por obrigar os outros a mostrarem projetos diferentes e fugirem do lugar comum que se tornou a troca de farpas.

  Infelizmente não vejo Marina Silva como uma candidata que possa fazer a diferença nessa eleição, porém a morte de Campos vai influenciar bastante os rumos do primeiro turno. Pesquisar indicam que a maioria dos votos dele irá, até o momento, para o candidato Aécio Neves, podendo tornar essa eleição a mais disputada dos últimos anos.

  Independente do que acontecer de agora em diante uma certeza já tenho, quem perdeu com essa morte foi o Brasil. Eleições polarizadas não são uma boa em nenhum lugar do mundo, quem dirá aqui no Brasil.
1 comentário

Postagens mais visitadas