A política pode estar influenciando as decisões da Record e Wagner Montes foi a vítima da vez

Wagner Montes foi vítima da má administração da Rede Record (reprodução/TV Record RJ)


  Que a Record é um desastre administrativo devido a ingerência religiosa a gente já sabe, mas que havia também uma influência política dentro da emissora até os mais pessimistas não sabiam.

  Isso começou a ficar evidente depois da mudança de horário do apresentador Wagner Montes na Record do Rio de Janeiro. Wagner fazia o "Balanço Geral" por volta do meio-dia no estado do Rio e frequentemente conquistava o primeiro lugar em audiência, tão sonhado pela emissora dos bispos. Além disso atraia muito lucro para emissora.

  Mas a poucos dias e de surpresa a emissora mudou o horário do programa dele, colocando-o no horário das 6 e meia da manhã. Tanto a audiência, como o número de patrocinadores e lucro caíram de forma drástica, mostrando que havia algo estranho nisso.

  E tem mesmo.

  De acordo com a coluna de Flávio Ricco, no UOL, essa mudança foi porque Wagner não quis trocar de partido político. Ele continua no PSD e não quis ir para o partido da igreja, o PRB.

  Isso teria deixado os bispos enfurecidos, tanto que resolveram lhe retaliar. O problema é que as piores consequências serão para a própria emissora.

  Esse infeliz ato mostra que a Record nunca conseguirá tomar o primeiro lugar da Globo em quesito nenhum. Não tem uma administração séria e comprometida com o público e não consegue ser melhor que a Globo nos quesitos aonde a platinada é mais criticada, como a imparcialidade da notícia e a manipulação do público através da edição de suas notícias.

  Desse jeito a nossa TV não vai ficar do jeito que está, vai piorar muito.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas