Assassinato de Amarildo expõe a destruição da nossa polícia

Apesar de todos os protestos a morte de Amarildo ainda é um mistério (divulgação)


  Uma das testemunhas chave do caso Amarildo revelou que foi pressionado pelo antigo ex-comandante da UPP na favela da Rocinha, Édson Santos, a acusar um traficante local. O menor de 16 anos disse ter recebido dinheiro para sustentar tal versão. Com isso fica evidente que a morte do pedreiro foi mais um exemplo do quanto a nossa polícia está destruída.

  Abusos de autoridade contra trabalhadores, extorsão de dinheiro e até proteção para criminosos fazem parte da rotina da polícia como se fosse só mais uma missão e assim perder cada vez o respeito da população, fazendo com que sempre sejam vistos como vilões, mesmo quando tem razão.

  Além do que já foi citado existe um banditismo covarde que toma conta dessas corporações. Pois eles batem e matam os trabalhadores, mas quando passam em frente aos líderes do tráfico só faltam "pedir a benção".

  Não se pode por a culpa só nos baixos salários, pois só dinheiro não faz com que sejam bandidos. É algo muito mais complicado e difícil de controlar, como a obsessão pela conquista do poder. Não importa de que forma consigam isso, o que eles querem é serem temidos para que assim seu poder jamais seja contestado.

  Simplesmente aumentar o salário deles não vai adiantar, só o que funciona é o mesmo que funcionaria para o resto dos bandidos, punições severas a todos os criminosos. Mas como no Brasil tudo acontece na "velocidade da luz apagada" ainda teremos muitos Amarildos mortos até que se faça alguma coisa.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas