Sérgio Cabral é o único político que declarou guerra as manifestações de forma ditatorial

Com a criação do CEIV Cabral só piora as coisas no Rio de Janeiro(Yasuyoshi Chiba/AFP)


  Podemos citar vários politicos e empresas que não simpatizam com as manifestações, mas nenhuma delas ou deles está tentando censurar as mobilizações populares como o governador carioca Sergio Cabral. A criação de um órgão para investigar atos de vandalismo é o ápice desse erro politico.

  Sergio Cabral criou o CEIV (Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo em Manifestações Públicas) com o intuito de fazer aquilo que a Policia, se quisesse, podia fazer tranquilamente e sem qualquer problema. Essa comissão inclusive poderá quebrar sigilos telefônicos dos supostos vândalos, ou em uma análise mais seca, dos organizadores da manifestações.

  Sabemos que o objetivo é acabar com as manifestações, mesmo assim surgem algumas questões, tipo...

  E os policiais da chamada P2 -policia especial, secreta, sei lá- que possivelmente se infiltram nas manifestações, também serão severamente investigados?

  E os policiais que nada fazem ao ver um bando de arruaceiros destruindo lojas, mas são extremamente rígidos contra os manifestantes, também serão investigados?

  A OAB do Rio de Janeiro já se manifestou e declarou a comissão como inconstitucional por haver traços de "atos de exceção", ou seja, existem medidas muito parecidas com as de ditaduras pelo mundo afora. OBVIAMENTE.

  Quando é que Sérgio Cabral vai entender que esse tipo de demonstração de autoridade só piora as coisas? Eu acho que ele ainda não entendeu como as coisas estão funcionando.

  E os protestos pedindo a sua saída só estão piorando...
2 comentários

Postagens mais visitadas