Ao lado de quem a justiça está ao cercear o direito de greve dos trabalhadores?

Justiça tenta cercear os protestos de tudo que é jeito (Marcio Rodrigues/Futura Press/Estadão Conteúdo)


  Depois de um dia histórico no Brasil, que teve uma de suas maiores greves nos últimos anos, mais uma vez a justiça fez de tudo para cercear o direito de protestar no país. A pergunta que fica é de que lado a justiça está?

  A justiça interviu nos bloqueios de estradas, um tipo de protesto que não contempla vandalismo e não machuca ninguém, ou seja, mais legitimo impossível.

  Em Porto Alegre queria que os rodoviários trabalhassem com frota reduzida, o que seria pior que uma paralisação total. Pois com alguns ônibus rodando as pessoas teriam de ir trabalhar com uma frota reduzida pela metade, já com a paralisação total a população simplesmente foi liberada para ficar em casa.

  As greves estão a frente de mudanças pelo mundo todo. Na Grécia e na Itália as greves foram gerais e a justiça não impediu, lembrando que esses países estão no chamado primeiro mundo. Então porque no Brasil a justiça intervém de forma tão vergonhosa?

  As greves e os bloqueios pacíficos de vias são instrumentos de protesto do povo e não podem ser cerceados de forma alguma. A justiça tem de lembrar que pode precisar desses instrumentos para seus próprios protestos.

  E tem mais, com uma greve geral a população não é prejudicada porque também está participando da manifestação, ou seja, essa desculpa não é válida.

  E estamos em um país aonde as greves criaram presidentes e restauraram a democracia, que aliás não vem sendo usada pela justiça nos casos de greve.

  A LUTA NÃO PODE PARAR!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas