Aos poucos a Justiça está acabando com o direito do trabalhador de fazer greve

Determinação da justiça acaba enfraquecendo a greve dos rodoviários do Rio de Janeiro (Marcelo Theobald/Jornal Extra Online)


  Ontem, devido a greve dos rodoviários cariocas, a Justiça do Rio de Janeiro determinou que 80% da frota de ônibus circule. A medida foi tomada para minimizar os efeitos da greve, mas na prática está cerceando o direito de luta por melhores salários.

  Sabe-se que a greve nunca é a primeira opção. Ela só acontece quando todas as chances de negociação acabaram e precisa-se tomar uma atitude mais contundente para que a negociação volte a fluir.

  Porém quando a justiça determina que 80% dos funcionários voltem a trabalhar, acaba com a greve e deixa os trabalhadores sem amparo judicial para lutar por melhores salários. Claro que ninguém quer prejudicar a população, mas a justiça tem se mostrado extremamente parcial nessas decisões.

  Quando os professores, os bancários e os médicos entram em greve eu não vejo a justiça mandar que um percentual x volte a trabalhar, porém quando se trata de trabalhadores mais desfavorecidos a decisão da justiça sempre favorece os patrões. Com os aeronautas foi assim também.

  Claro que a justiça não pode permitir uma greve de 100%, mas 50 ou 60% é um número razoável e de bom tamanho para que a população e nem os trabalhadores saiam prejudicados.

  E o que mais me impressiona é que isso acontece em um país aonde um ex-sindicalista, famoso pelas greves, se tornou presidente da república.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas