Protesto no Rio de Janeiro contra a nova divisão dos royalties chega a ser ridícula

A ridicularidade do protesto contra a nova divisão do royalties é sem tamanho (G1/Alexandre Durão)
 

  Hoje o Rio de Janeiro ferveu devido a um protesto contra a nova divisão dos royalties do petróleo. De acordo com os organizadores o estado sairia prejudicado por causa da nova divisão, porém se analisarmos veremos que a causa do protesto é ridícula.

  Primeiro vamos entender o que é essa história dos royalties.

  Os royalties do petróleo é uma quantia vultosa de dinheiro que vem da venda e da extração do produto para os estados produtores, ou seja, estados que tem bacias petrolíferas no seu litoral e abrigam diversas plataformas de petróleo. Durante anos esse dinheiro sempre foi dividido entre os estados produtores, porém agora o governo seguindo a máxima de que "o petróleo é nosso" resolveu dividir esses royalties entre todos os estados, produtores ou não. Isso tem enlouquecido o governo carioca que não quer perder tal dinheiro alegando que a extração do petróleo lhe traz prejuízos ambientais e que a falta do dinheiro lhe trará prejuízos econômicos também. E é nessa parte que o protesto torna-se ridículo.

  Os estados produtores já ganham muito dinheiro sem os royalties. Pois aonde tem uma bacia petrolífera são gerados muitos empregos e regiões se desenvolvem por causa disso. O que traz mais ganhos com impostos ao governo, pois essas regiões tem uma circulação de cargas e pessoas gigantesca.

  Outro fato importante é que o petróleo é do país inteiro. Porque o nordeste fica numa miséria desgraçada enquanto o RJ usa esse dinheiro para promover o Cristo redentor e o Carnaval?

  A justificativa econômica seria válida se o estado do RJ estivesse com índices de educação, segurança e saúde acima dos outros estados. Porém segue sendo um lixo de estado quanto a segurança, a educação e saúde. Muitas vezes pior que estados não produtores.

  Então o governo federal está certo em dividir esses royalties entre todos os estados. O Rio de Janeiro teve a chance de usar bem esse dinheiro e não fez isso. Então quem sabe outros estados saibam usar esse dinheiro melhor que os cariocas?

  O governador Sérgio Cabral liberou os funcionários públicos para o protesto, deixando a população sem os serviços do governo. Isso mostra a prioridade do governador, que é não perder esse dinheiro sabendo que isso lhe obrigaria a um corte de despesas inúteis e lhe deixaria mal com os aliados políticos sedentos por cargos com boas quantidades de dinheiro.

  O clientelismo político depende de dinheiro extra.

  Quanto aos artistas que participaram não há o que dizer. Um bando de idiotas que não sabem pelo que estão lutando. Normal

  Torço para que a presidente Dilma não vete esse projeto, porém, infelizmente, é provável que ela ceda.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas