Prisão de Zina, do Pânico, mostra como é difícil lidar com o vício do álcool

Foi a Rede record que noticiou a prisão de Zina (reprodução/ Rede Record)


  O ex-integrante do Pânico Zina está preso em São Paulo devido ao roubo de uma garrafa de bebida em um armazém e com isso nos dá a dimensão do quanto é difícil lidar com os vícios.

  Zina, quando estava no Pânico, ganhou casa e teve sua vida totalmente reconstruída, porém o vício falou mais alto e ele aos poucos foi se destruindo novamente.

  O álcool é um dos vícios mais comuns, atrás apenas do cigarro, porém é um dos mais antigos e cuja fronteira entre o consumo normal e o exagerado é a mais tênue.

  Quem garante que o jovem ou o pai de família que hoje bebe todo fim de semana "socialmente" não será o alcoólatra de amanhã?

  E o pior é que o alcoólatra só pode contar com ele mesmo para vencer o vício, pois o SUS não oferece uma estrutura decente para a pessoa se livrar do vício no álcool. Aliás não oferece estrutura nenhuma para tratar nenhum vício.

  É necessário um acompanhamento psicológico severo do alcoólatra, pois a falta de estimulo e problemas como depressão e ansiedade podem fazê-lo voltar ao vício a qualquer instante. Principalmente nos primeiros meses de abstinência.

  Por isso que o melhor é tomar cuidado com a quantidade de álcool que se consome. Pois o divertimento de hoje pode ser o sofrimento de amanhã.

  E dizer que vai parar de beber quando as coisas se resolverem não é desculpa, pois Zina teve toda sua vida resolvida e a destruiu novamente por causa do vício.
1 comentário

Postagens mais visitadas