Retirar propaganda da Duloren de circulação é uma demonstração de ignorância

Você acha que tem racismo nessa campanha da Duloren? (divulgação)


  O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária)  retirou de circulação uma propaganda da marca de lingerie Duloren alegando que ela era racista e banal. O problema é que não tem racismo nenhum na propaganda e banalidade é algo comum em propagandas.

  A propaganda da Duloren fazia referência a ocupação dos morros cariocas pelos policiais, as UPPs, com o slogan "Pacificar é fácil, quero ver dominar", ou seja, mostrava que uma mulher ficava poderosa com uma lingerie da marca e nada mais.

  Pois não é que acharam racismo na propaganda.

  Disseram que tem racismo porque colocaram uma mulher negra em uma foto que representa uma favela, sendo que o assunto é a lingerie, não a favela.

  Sem contar que se colocassem uma mulher branca iriam dizer que tinha racismo por não ter uma mulher negra.

  Em vez de se preocuparem com o racismo diário que os negros sofrem ao procurar emprego ficam se preocupando com bobagem.

  Estão transformando a luta contra o racismo em frescura. E quem mais perde com isso é a população negra.

  Quanto a banalidade isso acontece em várias propagandas que usam o humor e a ironia em suas campanhas. Qual o problema de se fazer uma brincadeira?

  Mais uma vez estão levando o humor a sério e ajudando a censura.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas