Obrigatoriedade do diploma para jornalismo é um desastre para a profissão e para a sociedade

Obrigatoriedade do diploma para jornalismo é um desastre para a profissão (imagem/fotoseimagens.net)


  O Senado, aparentando não ter o que fazer, resolveu votar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que pode trazer de volta a obrigatoriedade do diploma de jornalismo para a função, o que é um erro gigantesco.

  O que eles não entendem é que jornalismo é uma forma de comunicação, e comunicação é uma arte, um dom, que não se pode resumir a um pedaço de papel. Se a pessoa tiver compromisso com a verdade e souber se comunicar, se expressar e buscar a verdade ela tem tudo para ser uma grande jornalista e automaticamente ela vai buscar uma qualificação para exercer essa profissão. 

  Sem contar que as empresas de comunicação, obviamente, vão preferir quem tem o diploma. 

   Mas a principal para mim protestar contra a obrigatoriedade do diploma é que essa regra foi criada na época da ditadura (1969) e não com o intuito de valorizar a profissão. O que nossos governantes, na época, queriam era calar os antigos profissionais que não se curvavam as regras autoritárias e a falta de liberdade de expressão. 

  Então não tratem essa questão do diploma como fundamental, até porque as faculdades ao longo dos anos não diminuíram o número de profissionais antiéticos e também não melhoraram o jornalismo. 

  Se preocupem com questões mais importantes senhores congressistas. 

  E senhores que se acham donos do jornalismo, só me resta dizer que vocês podem ser repugnantes quando querem. Pois muitos que lutam por essa obrigatoriedade, passaram pelo martírio da ditadura e hoje renegam seu passado em busca de interesses que não sei quais são. Mas não podem ser bons.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas