Márcio Thomaz Bastos mancha sua biografia com o mensalão

Marcio Thomaz Bastos começou a destruir sua imagem quando se tornou
Ministro da Justiça do governo Lula
(imagem/Nelson Jr. /SCO/STF)



   Quando Márcio Thomaz Bastos tornou-se Ministro da Justiça do governo Lula, com certeza não imaginava que isso acabaria com sua imagem. Ele era um dos mais renomados nomes do direito no Brasil. Dava entrevistas sobre o assunto e mostrava entender muito bem todas as regras, o que lhe tornava uma referência no assunto.

   Então veio o cargo político, o que por si só já mancha a imagem, tirando a idoneidade dele. Mas depois veio o mensalão aonde, de acordo com a Veja, Márcio tratou de orientar Lula e seus ministros durante o escândalo de corrupção, fazendo com que o presidente saísse limpo da história.

   Isso já seria motivo suficiente para manchar sua história, mas teve mais.

   Então um dos donos do Banco Rural, resolveu lhe contratar para que o defendesse, no STF, do processo do mensalão. Então no dia de se pronunciar no STF pediu, ou quase implorou, para que os ministros do Supremo levassem em conta que os "coitadinhos" dos reús não terão direito a recorrer, pois o STF é a última instância do Judiciário Brasileiro.

   Imaginem só, um homem, que já foi referência em direito no país, defendendo de forma tão caridosa um acusado de ter participado de um ato de corrupção, no governo, do qual ele fazia parte.

   Esse fato e os outros que eu listei são mais do que indícios de que Márcio Thomaz Bastos, assim como o mensaleiro José Dirceu, jogou sua própria história no lixo. E olha que eu nem falei do fato dele ter começado a fazer a defesa do bicheiro Carlinhos Cachoeira.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas