Julian Assange sabe usar como ninguém o poder da mídia

Julian Assange usa a única arma que lhe sobrou, a mídia. (imagem/G1/AP Photo/Sang Tan)


  Neste domingo (19) o criador do site WikiLeaks apareceu na sacada da embaixada do Equador, no Reino Unido, para se manifestar sobre o impasse que envolve a sua extradição para a Suécia e o asilo político concedido pelo governo equatoriano. Mas além de falar, Julian mostrou que sabe usar a força da mídia como ninguém.

  Até então ele era um exilado sem rosto, pois há tempos não aparecia, no entanto agora tornou-se mais um a lutar contra, o já odiado, Estados Unidos.

  Pediu que parem de perseguir o WikiLeaks e que libertem o soldado que vazou os tais documentos oficiais para o site. Agradeceu ao Equador e acenou ao público que o apoiava do lado de fora da embaixada.

  Com isso reforçou a ideia de homem vítima dos EUA, o que por si só já atrairia muitos apoiadores, e está cada vez mais longe de ser preso pelo Reino Unido e consequentemente extraditado para a Suécia. Sem contar que com toda a pressão mundial sobre os Estados Unidos é cada vez mais remota a chance dele ser extraditado para o país e ser condenado a pena de morte.

  Parece que Julian Assange sabe usar muito bem a única arma que lhe restou, a mídia. Ou talvez seja a arama possível nesse momento de desespero.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas