Cantoras russas do Pussy Riot foram condenadas apesar dos protestos dos artistas

A perseguição política é evidente na Rússia, mas as cantoras do Pussy Riot também "deixaram na reta" (imagem/Maxim Shemetov/Reuters)


  Mesmo com artistas como Madonna e Paul McCartney protestando contra a prisão das punks da banda Pussy Riot, elas foram condenadas a 2 anos de prisão por terem praticado vandalismo motivado por ódio religioso.

  Tudo começou quando as cantoras Nadezhda, Maria, Yekaterina invadiram a principal igreja ortodoxa do país e cantaram músicas de protesto contra o presidente Vladimir Putin.

  A juíza alegou que elas planejaram muito bem a ação e por isso as condenou a 2 anos de prisão.

  Analisando a situação geral da Rússia, fica óbvia a intolerância do regime Putin. Mas as cantoras também deixaram rastros para serem condenadas. Pois a igreja é um local sagrado para os fiéis e não deveria ser usado para protestos que poderiam acontecer em qualquer local público, como praças, ruas e outros.

  Invadir qualquer local, que não seja público, é crime de invasão, aqui e no mundo todo.

  Então apesar dos protestos dos artistas, a justiça fez a sua parte. Elas cometeram um crime e foram condenadas por isso. Inclusive a promotoria pediu 3 anos de condenação, mas a juíza aliviou e as condenou a somente 2.

  A perseguição política é outra coisa, mas o crime realmente foi cometido. Infelizmente a condenação tem respaldo da justiça.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas